Sites dos Distritos Rotários no Brasil

quarta-feira, 25 de julho de 2012

Crônicas - Cp. Innocente V. Chiaradia



09 de Outubro de 2012

MANUAL DE PREVENÇÃO DE QUEDAS DA PESSOA IDOSA
Autoria: Centro de Estudos Ortopédicos do Hospital do Servidor Público do Estado de São Paulo.


SOBRE A QUEDA.

     Definição: deslocamento não intencional do corpo para um nível inferior à posição inicial com a incapacidade de correção em tempo hábil, determinado por circunstâncias multifatoriais que comprometem a estabilidade.
     As quedas das pessoas idosas são comuns e aumentam progressivamente com a idade em ambos os sexos e em todos os grupos étnicos e raciais. Representa um problema de saúde pública.
     A queda pode significar que houve o declínio das funções fisiológicas (visão, audição, locomoção), ou ainda representar sintomas de alguma patologia específica. Os acidentes por quedas podem provocar fraturas, traumatismos cranianos e morte, dependendo do caso. Afetam a qualidade de vida do idoso por consequências psicossociais, provocam sentimentos como medo, fragilidade e falta de confiança. Muitas vezes funcionam como o início da degeneração do quadro geral do idoso, pois além de reduzir sua modalidade também afeta as atividades sociais e recreativas.

FREQUÊNCIA E CONSEQUÊNCIAS.

     No Brasil cerca de 30% dos idosos caem pelo menos uma vez no ano. A freqüência é maior em mulheres.
     O risco de fraturas decorrentes de quedas aumenta com a idade. Estudos mostram que 40% das quedas em mulheres com mais de 75 anos e 28% das quedas em homens da mesma idade resultam em fraturas. 5 a 10% das quedas resultam em ferimentos importantes.
O risco de quedas aumenta com o avançar da idade e pode chegar a 51% em idosos acima de 85 anos. Mais de dois terços daqueles que têm uma queda cairão novamente nos seis meses subsequentes. 70% das quedas em idosos ocorrem dentro de casa.

FATORES DE RISCO.

     Existem fatores que predispõem à queda no idoso e que, de forma simplificada, podem ser divididos em intrínsecos, aqueles relacionados às alterações fisiológicas do processo de envelhecimento ou então a uma patologia específica e ainda ao uso de medicamentos. Existem também os fatores extrínsecos, aqueles relacionados ao ambiente em que o idoso interage, sua casa, locais públicos e transporte coletivo, entre outros.

FATORES INTRÍNSECOS RELACIONADOS À QUEDA EM IDOSOS.

     ALTERAÇÕES FISIOLÓGICAS DO ENVELHECIMENTO: diminuição da visão, diminuição da audição, sedentarismo, distúrbios musculoesqueléticos (fraqueza muscular e degenerações articulares), alterações na postura, alteração de equilíbrio e locomoção e deformidade nos pés.

     DOENÇAS QUE PREDISPÕEM À QUEDA: doenças cardíacas, doenças pulmonares, doenças neurológicas (derrame cerebral, demência, Doença de Parkinson, Mal de Alzheimer, doenças geniturinárias, osteoporose, artrose e labirintite).

     MEDICAMENTOS: antidepressivos, ansiolíticos, hipnóticos e antipsicóticos, anti-hipertensivos, anticolinérgicos, diuréticos, antiarrítmicos, hipoglicemiantes, anti-inflamatórios não-hormonais, polifarmácia (uso de 5 ou mais drogas associadas).

     Neste manual você conhecerá alguns fatores de risco que poderão contribuir para a queda nos idosos, bem como pequenas dicas que poderão ajudá-lo a tomar algumas medidas de prevenção no ambiente domiciliar, onde ocorre a maioria das quedas.

     BANHEIRO: Não utilize tapetes de tecido (ou retalhos), que podem provocar escorregões (use tapetes emborrachados antiderrapantes). Caso tenha dificuldade para enxergar, evite utilizar banheiro com pouca iluminação ou com piso, cortinas e peças da mesma cor (aumente a iluminação: use lâmpadas fluorescentes, cortinas claras, assento do vaso sanitário e pia em cores diferentes das do piso e do chão). Utilizar vaso sanitário muito baixo e sem barras de apoio pode provocar desequilíbrio, além de ser desconfortável (aumente a altura do vaso e instale barras de apoio laterais e paralelas ao vaso). Evite tomar banho em banheiros com boxe de vidro, sem tapete antiderrapante e sem barras de apoio (substitua o boxe de vidro por cortinas, utilize tapetes antiderrapantes e instale barras de apoio nas paredes; na dificuldade em se abaixar durante o banho, utilize uma cadeira de plástico firme e resistente).

QUARTO: Não use tapetes soltos nem encere o piso com produtos escorregadios; evite usar calçados altos ou com solado liso e nunca ande somente de meias (use tapetes presos ao chão; quanto ao piso, o melhor mesmo é não encerar; use sempre sapatos com solado antiderrapante). Evite camas muito baixas e colchões muito macios; você pode ter dificuldade para levantar ou deitar (ajuste a altura da cama e se preciso troque o colchão por um mais firme). Nunca levante no escuro (providencie um interruptor de luz ao lado da cama ou um abajur).

SALA: Não deixe que extensões elétricas ou fios de telefone cruzem o caminho e não permita que sapatos, brinquedos e outros objetos fiquem espalhados pelo chão (mantenha os fios dos aparelhos próximos às tomadas; deixe o caminho livre e sem bagunça). Cuidado com sofás muito baixos e macios ou poltronas sem braços; você pode ter dificuldade para se levantar (prefira sofás mais altos e firmes e poltronas com braços).

COZINHA: Não utilize armários muito altos que necessitem de bancos ou escadas para alcançar os objetos (os armários devem ser de fácil alcance e fixados à parede).

ESCADA: Nunca deixe qualquer tipo de objeto nos degraus; escadas com pouca iluminação, sem corrimão e com degraus estreitos são perigosas (a escada deve estar livre de objetos, possuir corrimãos dos dois lados, fitas antiderrapantes nos degraus e interruptores de luz, tanto na parte inferior quanto na superior).

ANIMAIS DE ESTIMAÇÃO: Se possível escolha as cores de mobília e piso diferentes da cor do animal de estimação; isso evita que você tropece e tenha uma queda. Nunca deixe a casinha do cachorro muito próxima da entrada da sua casa. Quando for preciso prender o animal, a corrente deve ser do tamanho médio para que não cruze o seu caminho.

OUTRAS DICAS.

     Consulte seu geriatra regularmente.
     Faça exames oftalmológicos anualmente.
     Mantenha uma dieta saudável com ingestão de cálcio e vitamina D.
     Reduza a ingestão de bebidas alcoólicas.
     Tome banho de sol regularmente.
     Informe-se com seu médico sobre efeitos colaterais dos remédios que você está tomando.
     Certifique-se de que todos os medicamentos estejam claramente rotulados e os guarde em local adequado.
     Tome os medicamentos nos horários corretos e da forma que foram receitados pelo seu médico.
     Participe de programas de atividade física que visem ao desenvolvimento de agilidade, equilíbrio, coordenação e força muscular.
     Converse com seu médico a respeito do tipo de atividade física que você pode realizar.
     Leve uma vida saudável e seja feliz.

Rotary Club de Tupã, 9/outubro/2012 – Colaboração do comp. Innocente V. Chiaradia (Sócio Honorário)





24/07/2012 - QUANDO O IMPOSSÍVEL SE TORNA VIÁVEL – Albert Einstein

Conta uma lenda que duas crianças patinavam em cima de um lago congelado. Era uma tarde nublada e fria e elas brincavam despreocupadamente.
De repente o piso glacial rachou e a menina caiu, ficando presa na fenda que assim se abrira. O menino, vendo a amiguinha imobilizada e sofrendo na água gelada, tirou rapidamente um de seus patins metálicos e começou a golpear, com todas as suas forças, o sólido gelo que circundava o corpo da garota. Quebrando-o aos poucos, com firmes e sucessivas batidas, ele conseguiu puxá-la para fora da fossa, salvando-a. 
Um velho, que assistia à distância o acontecimento, pedira pelo seu celular o socorro dos bombeiros. Quando estes chegaram, um deles, informado sobre a heroica e engenhosa ação do menino, perguntou a ele:
- Como você conseguiu fazer isso? É impossível que você, assim pequeno e com mãozinhas ainda frágeis, tenha quebrado sozinho tanto gelo duro!
Nesse instante, o idoso que solicitara a ajuda dos bombeiros aproximou-se deles e comentou:
- Eu sei porque o moço conseguiu realizar essa proeza. É muito simples: não havia ninguém por perto para lhe dizer que ele não seria capaz de fazer isso. Como afirmava o ilustre pensador francês Jean Cocteau, “não sabendo que era impossível, ele foi lá e fez”!

Fonte: pensamentosesonhos.blogs.pt.

Pós-escrito: “Algo só é impossível até que alguém duvida e acaba provando o contrário.” (Albert Einstein)


Rotary Club de Tupã, 24/7/2012 – Colaboração do comp. Innocente V. Chiaradia (Sócio Honorário)




Reações:

1 comentários:

  1. Mto bom... Adorei a crônica. Continuem previlegiando seus leitores.
    RCOurinhos
    (Gláucia- sec)

    ResponderExcluir

Deixe aqui seus pensamentos à respeito do assunto. Será de grande valia para que possamos obter melhoria contínua.